Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Temporal deixa SP em estado de atenção por 2 h

Ventos derrubaram cinco árvores e chegaram a 50,4 quilômetros por hora na região do Campo de Marte; frio deve prevalecer nos próximos dias

Elvis Pereira, O Estadao de S.Paulo

04 de setembro de 2009 | 00h00

Após nove dias de tempo quente e seco, voltou a chover em São Paulo. Com mais de duas horas de duração, o temporal resultou em 22 pontos de alagamento - dos quais cinco ficaram intransitáveis -, o que complicou o trânsito e deixou várias vias da cidade sem energia. O Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) manteve a cidade em estado de atenção das 17h10 às 19h15 - quando a lentidão na cidade era de 167 quilômetros.

Os ventos que antecederam a chuva derrubaram pelo menos cinco árvores. Uma delas caiu sobre carros na Rua Artur Prado, na Bela Vista, região central. Ninguém se feriu. No Campo de Marte, na zona norte da capital, as rajadas chegaram a 50,4 quilômetros por hora e no Aeroporto de Congonhas, na zona sul, a 45 quilômetros por hora. Apesar disso, os pousos e decolagens não foram interrompidos.

"Como estamos numa fase de transição entre inverno e primavera, há chances de ocorrerem esses temporais localizados", afirmou o meteorologista Marcelo Schneider, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). A tendência é de que o tempo continue frio, por causa da chegada de uma frente fria. "Não é forte, mas vai deixar o dia nublado", disse Schneider. O sol deverá aparecer poucas vezes.

Depois de um sábado nublado e com chuvas, um sol fraco aparece no domingo - embora as pancadas de chuva permaneçam. O tempo começará a melhorar apenas na segunda-feira - sempre com temperaturas baixas -, mas as chuvas fortes retornam no fim da tarde. A meteorologia também prevê mar agitado no litoral, com ondas de até 2 metros de altura. COLABOROU RENATO MACHADO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.