Temporal destrói dois hangares da Embraer

Dois hangares da Embraer foram destruídos pela força de um temporal no final da tarde de hoje em São José dos Campos, Vale do Paraíba. Por volta das 18 horas os ventos fortes arrancaram janelas dos prédios da Embraer e os hangares vieram abaixo. Pelo menos quatro funcionários foram feridos pelos estilhaços dos vidros. O susto tomou conta dos trabalhadores da fabricante brasileira de aeronaves que corriam de um lado para o outro tentando saber o que estava acontecendo. O Corpo de Bombeiros agiu rapidamente para impedir que outras pessoas ficassem feridas. Buscas foram realizadas pelo interior da empresa, na tentativa de descobrir se havia pessoas debaixo dos escombros. Os funcionários foram atendidos na própria empresa e depois levados para a clínica Policlin do centro da cidade. Por meio da assessoria de imprensa, a Embraer confirmou dois casos de fraturas em funcionários. Informou também que apesar dos danos a algumas instalações, as operações da empresa não foram prejudicadas. O vento também destruiu parcialmente um galpão do Centro Técnico Aeroespacial, mas não houve feridos, segundo o Corpo de Bombeiros. De acordo com o Centro de Previsão do Tempo do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) os ventos superaram 100 quilômetros por hora e duraram alguns minutos. "Foi uma grande nuvem provocada pelo calor e pela umidade que gerou as rajadas de ventos tão fortes", explicou a meteorologista Mônica Lima. O vendaval também destruiu salas no aeroporto de São José dos Campos, arrancando janelas e divisórias. De acordo com a Defesa Civil, muitas árvores caíram sobre ruas e carros, impedindo o trânsito principalmente na zona sul da cidade. Em uma estrada vicinal do bairro Putim, pelo menos seis eucaliptos foram arrancados. A chuva durou apenas meia hora e também destruiu dez barracos do acampamento Pinheirinho, onde moram duas mil famílias de sem-teto. A Sabesp de São José dos Campos informou que pelo menos cem mil pessoas vão ficar sem água amanhã na cidade. Em Ubatuba, pelo menos quatro casas do centro da cidade foram completamente destelhadas. Além das casas, um supermercado, uma escola e vários outdoors ficaram no chão. Não houve feridos segundo a Defesa Civil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.