Temporal e ventania causam prejuízos no RS e em SC

Vento derrubou postes, árvores, torres e destelhou milhares de casas em SC; cerca de 220 mil ficaram sem água no RS

Júlio Castro, Especial para O Estado

10 Novembro 2010 | 16h53

SÃO PAULO - Um forte temporal, com ventos que chegaram a atingir velocidade de 113 km/h no final da tarde de terça-feira e madrugada desta quarta-feira, causou inúmeros estragos e prejuízos em Santa Catarina. Pelo menos 56 mil unidades consumidoras ficaram sem energia na região Sul do Estado devido a problemas nas linhas de transmissão. Também houve queda de granizo. O vento derrubou postes, árvores, torres e destelhou milhares de casas em todas as regiões. Até o final de tarde desta quarta-feira, algumas localidades permaneciam sem energia elétrica.

 

Em Piratuba, no Meio-Oeste, houve queda de duas torres de telefonia. Uma caiu sobre uma escola onde estudavam 60 crianças e outra contra o prédio da prefeitura. "Foi um grande susto e alguns alunos acabaram ficando em estado de choque. Tivemos que fazer algumas atividades para eles relaxarem e ficarem calmos", informou a diretora da escola Daiane Vieira, acrescentando que ninguém se feriu.

 

No interior do município de Nova Veneza, na região Sul, pelo menos 12 mil frangos morreram sufocados pelo calor. Sem eletricidade para alimentar os pulverizadores de água no interior dos aviários, os animais não resistiram a temperatura que chegou 40ºC. As aves mortas foram encaminhados para um aterro sanitário. O prejuízo, segundo o criador Ângelo Gonçalves, foi estimado em R$ 60 mil.

 

Conforme o Departamento Estadual de Defesa Civil, foram registrados prejuízos em pelo menos 10 municípios catarinenses. O Balneário Arroio do Silva teve 150 casas destelhadas ou danificadas pelo granizo. O abastecimento de água em Lages ficou prejudicado dada a queda de árvores sobre a fiação que sustenta a adutora que abastece a cidade.

 

Rio Grande do Sul. O temporal também atingiu o Rio Grande do Sul na tarde desta terça-feira e causou a interrupção do fornecimento de energia elétrica em diversas cidades atendidas pela Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan). Cerca de 220 mil moradores ficaram sem abastecimento de água. Os fortes ventos e temporais registrados ontem deixaram 700 residências danificadas, três residências destruídas, 500 pessoas desalojadas e 20 escolas danificadas, segundo dados da Defesa Civil Estadual.

 

A situação mais grave aconteceu na cidade de Cachoeirinha, onde a Estação de Tratamento de Água ficou sem energia desde às 14h45 de ontem. Toda a cidade e parte de Gravataí ficaram sem água, atingindo 220 mil pessoas. A estação voltou a operar por volta das 12 horas de hoje, mas a previsão é de que o sistema de abastecimento para os moradores de Cachoeirinha e parte de Gravataí se normalize por completo durante a noite. Outras cidades também enfrentaram o mesmo problema, afetando alguns bairros de Encantado, Estância Velha, São Jerônimo e Portão.

 

Já em Alvorada, a Corsan está executando obras desde as 8 horas, que devem ser concluídas às 20h. Nesse período, 13 mil moradores dos bairros Caxambu e Piratini têm o abastecimento de água interrompido. A previsão é de normalização do sistema durante a madrugada desta quinta-feira, 11.

 

Mais conteúdo sobre:
SC temporal chuvas energia elétrica Piratuba

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.