Temporal fere mãe e filha no Sul; SP pode ter calor recorde

Sudeste e Centro-Oeste terão umidade do ar abaixo da recomendável

Elder Ogliari, O Estadao de S.Paulo

11 de setembro de 2008 | 00h00

Temporais causaram transtornos em diferentes regiões do Rio Grande do Sul na tarde de ontem. Vento forte e repentino, em meio a um aguaceiro, provocou destruição e medo nos municípios de Triunfo, Montenegro e Tabaí. Na localidade de Coxilha Negra, em Triunfo, um galpão usado para reciclagem de lixo e várias casas ficaram destelhados. Uma mulher e uma criança, mãe e filha, sofreram ferimentos e foram levadas para o Hospital Santa Rita, onde ficaram internadas. Os motoristas que trafegavam pela BR-386, a principal rodovia da região, ficaram assustados com a força do vento. Três deles, que haviam estacionado no acostamento para não dirigir sob a chuva torrencial, tiveram seus automóveis arrastados para um matagal. Dois caminhões tombaram. Casas e estabelecimentos comerciais da beira da rodovia, como uma loja de roupas, um supermercado e um posto de combustíveis, perderam seus telhados. A queda de árvores e postos na rodovia deixou o trânsito engarrafado por várias horas. Tempestades de granizo e ventanias também castigaram os municípios São Sebastião do Caí, no Vale do Caí, Salto do Jacuí, na região central, e Vicente Dutra e Iraí, no norte. Quedas de postes também interromperam o abastecimento de energia elétrica. No início da noite, pelo menos 13 mil casas ainda estavam sem luz - cerca de 11 mil em São Sebastião do Caí e 2 mil em Nova Petrópolis. O 8º Distrito de Meteorologia prevê pancadas de chuva e queda de granizo em áreas isoladas, e trovoadas e rajadas de vento no Rio Grande do Sul e no oeste e sul de Santa Catarina. OUTRAS REGIÕESNo restante do País, o sol, o ar seco e o calor intenso devem predominar. Segundo a Climatempo, no interior do Sudeste, na maior parte do Centro-Oeste, no interior do Nordeste e em Tocantins, as máximas podem chegar perto dos 40°C, e a umidade relativa do ar pode cair a menos de 20%. Há possibilidade de pancadas de chuva, entretanto, no oeste de Mato Grosso do Sul e de Mato Grosso, no restante da Região Norte e no litoral nordestino.Na capital paulista, quatro estações da Cetesb registraram qualidade inadequada do ar, na tarde de ontem, devido à grande concentração de ozônio. Para hoje, a temperatura máxima prevista é de 33°C. Se confirmada ou ultrapassada, será o recorde do ano, que registrou 32,8°C em 12 de fevereiro. Na quinta-feira passada, os termômetros em São Paulo chegaram a 32,4°C. No interior do Estado, chegou a fazer 36°C - calor causado pelas poucas nuvens e pela ausência de ar polar. O tempo no Estado deve mudar novamente de sexta para sábado: muitas nuvens, um pouco de chuva e queda de temperatura estão previstas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.