ANA PAULA CAVALCANTI|TUBELAB
ANA PAULA CAVALCANTI|TUBELAB

Tênis de LED é o ‘novo passo’ da moda

Sucesso no fim da Rio-2016, já há quem imagine o acessório como futuro destaque de carnaval, por atrair público alternativo e ‘descolado’

ANA PAULA CAVALCANTI|TUBELAB
ANA PAULA CAVALCANTI|TUBELAB

Paula Felix, O Estado de S. Paulo

16 Outubro 2016 | 04h00

SÃO PAULO - Os adultos que sempre quiseram usar os tênis com luzes que fazem sucesso entre as crianças têm agora a oportunidade de incrementar o visual com os modelos de LED. Nada discretos, eles apareceram em semanas de moda, no encerramento da Olimpíada do Rio e já chegaram ao mercado – e algumas marcas estão com pré-venda na internet.

O coreógrafo Alan Brasil, de 37 anos, comprou um modelo em julho deste ano, quando esteve em Nova York, e diz que o tênis vira uma atração tanto em festas quanto em suas aulas. “Onde uso, as pessoas ficam alegres e pedem para tirar fotos. Fui para uma festa de amigos e o pessoal adorou. Esse tênis também contribuiu para as minhas aulas, porque dá visibilidade para os meus passos e isso ajuda os meus alunos na hora de aprender as coreografias.”

O sistema de luzes do tênis de LED pode ser desativado sempre que o usuário quiser e, de acordo com o modelo, pode ser programado para alternar as cores ou ficar apenas com uma. A recarga é feita via cabo USB, mas é preciso tomar cuidado: o calçado não deve ser lavado como um tênis convencional, mas higienizado apenas com um pano úmido.

Brasil diz que pagou US$ 100 no par e costuma aderir a itens que estão na moda não só no País, mas no exterior. “Vi que era uma tendência e comprei um modelo neutro. Como lido com a dança, ter esses produtos que propiciam diferenciais é bacana. É uma forma de brincar com as cores e com o jeito de se vestir. Assim que saiu o tênis com rodinha no calcanhar, também comprei.”

O coreógrafo conta que ficou feliz ao ver a delegação britânica com o modelo na Olimpíada, em agosto. “Eu comemorei um monte, vi que peguei o cometa na hora certa”, brinca.

Ele trouxe um par para uma amiga, a empresária e youtuber Tata Furtado, de 33 anos, que usa o modelo para se divertir com as filhas, de 7 e 2 anos. “É bem confortável e acho diferente. Uso para brincar com as minhas filhas no escuro. Acho legal para postar fotos nas redes sociais.”

Ela diz que está procurando um modelo infantil com o mesmo tipo de iluminação, mas ainda não encontrou. “A criançada gosta muito, mas também está fazendo sucesso com o público alternativo, descolado. Acho que vai bombar no carnaval.”

Tendência. Segundo Fabiola Guimarães, diretora da marca Schutz, a inspiração para o modelo surgiu após o desfile de primavera-verão da Chanel, no ano passado, que tinha uma sandália com luzes de LED. “Resolvemos trazer para o Brasil em uma versão mais moderna dos tênis que já estavam fazendo sucesso. Na mesma época do lançamento, a delegação britânica usou um modelo de tênis de LED no encerramento da Olimpíada, o que ajudou a criar um desejo simultâneo sobre o nosso produto.”

Neste mês, a marca Vizzano inicia as vendas de um modelo com autonomia de oito horas de uso contínuo, que pode ser recarregado em duas horas. “O que mais nos impressionou foi a diversidade de público que esta tendência atingiu. Não tem idade, basta gostar de moda e estar antenado com o que está acontecendo no cada vez mais dinâmico mundo fashion”, afirma Eduardo Tondin, designer da marca.

Em casa. Com pouco mais de R$ 50, é possível personalizar um tênis usado e transformá-lo em um modelo luminoso. É isso que donos de canais no YouTube estão fazendo e apresentando em tutoriais para quem quer entrar na tendência e economizar.

O designer de produtos Fabio Basso, de 34 anos, diz que fez uma versão para o irmão de 12 anos, que queria o tênis de LED para andar de skate. Ele postou um vídeo no seu canal “DeCasa” e teve mais de 22 mil visualizações em um mês. “Gostei e fiz um para mim. É simples de fazer, porque a facilidade para instalar esse material é grande. A fita de LED já vem com cola e dá para reaproveitar um tênis velho. Em uma hora, a pessoa consegue fazer”, explica.

Basso diz que, após a publicação do vídeo, passou a receber pedidos. “Acabei fazendo para uma menina. Vira e mexe, alguém me pede para fazer. A galerinha gosta desse vídeo.”

O tutorial postado em julho no canal “Leite com Biscoito” teve quase 175 mil visualizações até agora. Foi por considerar o modelo caro que o designer gráfico Otávio Seije, de 25 anos, resolveu pesquisar como fazer o modelo em casa e compartilhar. “Estava caro e ninguém vai sair toda hora com um tênis que fica piscando. Como os adolescentes estão querendo e dinheiro não cai do céu, fui atrás das coisas possíveis, até em tutoriais americanos. Nada era satisfatório, até encontrar a mangueira de LED autocolante e de silicone.”

Seije, que é de Sorocaba, diz que esse foi o material mais caro. Custou R$ 23. O designer gráfico fez um par para a irmã de 19 anos e dois para uso próprio, mas um não durou muito. “Tenho um par porque meu cachorro destruiu o outro.” O público do seu canal é, na maioria, de adolescentes de 13 a 17 anos. “Eles se alimentam do que é novo e essa é uma tendência.” 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.