Tenista morreu com tiro à queima-roupa, diz laudo

O tiro que atingiu o tenista Thomás Engel, 16 anos, morto no dia 2 de setembro por um tenente na PM gaúcha durante uma abordagem policial, foi disparado a menos de um metro de distância. A conclusão é do laudo do Instituto Geral de Perícias (IGP), realizado nas roupas da vítima. A presença de pólvora em torno do ferimento e o diâmetro do orifício por onde entrou a bala foram as provas apresentadas pelos peritos para derrubar a versão do tenente Paulo Sérgio de Souza, que disse estar a cerca de três metros. O oficial da Brigada Militar será julgado por homicídio doloso qualificado e, se for condenado, poderá pegar de 12 a 30 anos de prisão. Seu primeiro depoimento na Justiça ocorrerá no dia 1º de novembro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.