Tentativa de fuga termina com dois mortos em Minas Gerais

Dois presos morreram em uma rebelião na noite de domingo, na cadeia pública de Conselheiro Pena, leste de Minas Gerais, a 400 quilômetros de Belo Horizonte. De acordo com a Polícia Militar, eles foram assassinados por colegas de cela. A rebelião começou por volta de 19h30 de domingo, véspera de Natal. Os presos tentaram uma fuga em massa. Antes, destruíram grades das celas, quebraram paredes da cadeia e atearam fogo a colchões e outros objetos. O motim foi contido na madrugada desta segunda-feira pela Companhia de Missões Especiais da Polícia Militar de Governador Valadares (MG).Os presos mortos são Wemerson Silva Gomes, de 26 anos, e João Batista Moutin, de 22. A Polícia Militar informou que um deles foi enforcado e o outro, assassinado a golpes de chucho, um instrumento cortante. Apenas um preso, Wanderlei Cardoso Estevão, de 34 anos, conseguiu fugir.A rebelião deixou tensos os moradores do entorno da cadeia pública, que fica no Centro de Conselheiro Pena. Muitos deles comemoravam o Natal no momento do motim. O Corpo de Bombeiros de Governador Valadares também precisou ser chamado, para combater um incêndio que começou com o fogo colocado nos colchões pelos detentos.A cadeia pública de Conselheiro Pena tem capacidade para 80 presos, mas abrigava pelo menos 100, distribuídos em 14 celas. Durante a rebelião, eles pediram para conversar com um promotor e um juiz. De acordo com a Polícia Militar, 29 presos foram transferidos após o motim para as cadeias públicas de Aimorés, Resplendor e Galiléia, municípios próximos a Conselheiro Pena.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.