Terça-feira de carnaval é dia de reunião de maracatus em Recife

Com sua exuberância de cores e sons e estrelados pelos caboclos de lança, os maracatus de baque solto (maracatus rurais) dominaram a cena na segunda-feira de carnaval. Eles foram atração em Nazaré da Mata, na zona da mata, e em Igarassu, na região metropolitana. Mas foi no Espaço Ilumiara Zumbi, na Cidade Tabajara, em Olinda, sob o comando do "embaixador da cultura popular" Mestre Salustiano, onde todos se reuniram. A previsão era a de que todos os 90 maracatus de baque solto existentes no Estado iriam ali desfilar até à noite, numa saudável rivalidade, com cada um querendo mostrar mais beleza e ritmo. Até o final da manhã, mais de 20 deles, a exemplo do Cambindinha, o mais antigo, fundado em 1914, do Leão de Campina, do Leão de Ouro, do Carneiro Manso e do Leão de Ouro, já haviam deslumbrado o público que normalmente passa algum tempo admirando os maracatus antes - ou depois - de curtir o frevo nas ladeiras de Olinda ou nas ruas do Recife Antigo.Antes de fazerem suas evoluções e cantarem suas loas no Espaço Ilumiara, a céu aberto, alguns maracatus se apresentaram antes na Casa da Rabeca, a alguns metros, área particular do Mestre Salustiano, onde funciona um bar e onde as várias representações da cultura regional fazem shows semanalmente. Ali, os mestres dos maracatus desafiaram "Salu" num embate de improviso, em que eles tecem seus versos enquanto os personagens do maracatu dançam ao som da caixa, bombinho, ganzá (ou mineiro), porca (espécie de cuíca) e gonguê. A cada verso, os caboclos de lança com seus chapéus de celofane colorido e gola (espécie de manta toda bordada de lantejoulas) também balançam o surrão que carregam nas costas fazendo o estridente e característico som que marca o maracatu rural.Ajuda financeiraO presidente da Associação dos Maracatus de Baque Solto de Pernambuco, Manoel Salustiano Soares Filho, filho de Mestre Salu, contou que pela primeira vez o encontro, que se realiza há 14 anos, contou com uma boa ajuda financeira do governo federal - R$ 64 mil - o que contribuiu para os integrantes dos maracatus renovarem suas roupas, dando mais brilho ao desfile. O primeiro encontro promovido por Mestre Salu, em 1989, reuniu 11 maracatus de baque solto. Desde então, muitos que estavam desativados voltaram à ativa e muitos outros foram criados, atingindo agora a marca dos 90.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.