Terceiro acusado no caso da ex-estagiária se entrega à polícia

Mais um acusado da assassinato de Mônica Tamer Cruz de Almeida a mando da ex-estagiária da Petrocoque, Ana Carolina de Paula Farias Castro está preso. Everton Moura Andrade, de 19 anos, se apresentou ao delegado Rony da Silva Oliveira, do 3º Distrito Policial de Santos, na manhã de hoje, prestou depoimento e ficou preso na cadeia anexa. Everton conversou muito rapidamente com os jornalistas ao chegar e disse que estava se apresentando porque era inocente. Aos policiais, porém, confessou a participação na tentativa de seqüestro da mulher do ex-chefe de Ana Carolina. Ele vai responder processo por mais dois crimes: tentativa de homicídio e homicídio.Os crimes teriam sido cometidos a mando da ex-estagiária para que ela ficasse com uma vaga na empresa, onde ela havia estagiado. Durante o período em que trabalhou na empresa, Ana Carolina teria se apaixonado pelo chefe, cuja esposa sofreu tentativa de seqüestro no dia 6 de setembro do ano passado. A mulher gritou e conseguiu fugir. Everton Moura Andrade teria puxado a mulher pelo cabelo para obrigá-la a entrar em um carro.Outro crime que está sendo atribuído ao bando foi a tentativa de homicídio praticada contra Renata Boreli, de 24 anos. Ela estava indo para sua casa em São Bernardo do Campo quando um carro emparelhou e um dos ocupantes passou a atirar em sua direção. Uma bala atingiu seu ombro. Se Renata tivesse morrido, uma vaga se abriria na empresa, conforme pretendia Ana Carolina.Como o homicídio falhou, Ana Carolina planejou matar Mônica para ficar com sua vaga e o grupo fez a abordagem quando ela ia trabalhar. A mulher viu os ocupantes do carro, gritou e tentou fugir, mas foi atingida e morreu no local. Com os três em prisão provisória, falta ainda a polícia prender Aislan Dionísio do Nascimento, de 24 anos, que teria atirado em Mônica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.