Aline Caetano-TJGO
Aline Caetano-TJGO

Terceiro motim atinge o Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia

Secretaria de Segurança Pública informa que a rebelião foi controlada e que não houve mortos ou feridos

Ana Paula Niederauer, O Estado de S.Paulo

05 Janeiro 2018 | 08h19

Detentos fazem a terceira rebelião, nesta sexta-feira,5, no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia (GO).

O motim começou por volta das 4h30 na Penitenciária Odenir Guimarães (POG), unidade de regime fechado do complexo, quando tiros começaram a ser ouvidos no local.

Segundo a Diretoria Geral de Administração Penitenciária (DGAP), o Grupo de Operações Penitenciárias Especiais (Gope), com apoio da Polícia Militar, invadiu o presídio e contatou focos de incêndio.

+++ Agentes não dominam o presídio de Goiás, relatam presos

A assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP) informou em nota que não houve mortes e retomou o controle do local. Segundo o texto, por volta das 7h, desta sexta-feira, foi iniciado procedimento de revista.

A Polícia Militar informa que foram deslocados policiais dos batalhões de Choque, Operações Especiais, Grupo de Radiopatrulha Aérea, cavalaria da corporação para a POG, além de equipes do Corpo de Bombeiros.

A primeira rebelião ocorreu na última segunda-feira, 1º, onde nove presos foram assassinados e 14 ficaram feridos durante um confronto entre detentos do regime semiaberto no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, em Goiás. 

Os presos do prédio do Complexo Agroindustrial do Regime Semiaberto fizeram na noite dessa quinta-feira,4, o segundo motim. Segundo a polícia, a situação foi controlada e não houve mortos ou feridos.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.