Termina greve dos rodoviários na Bahia

Segundo diretor, decisão não agradou a todos e haverá nova reunião

estadao.com.br,

26 Maio 2012 | 11h41

Terminou na manhã deste sábado, 26, a greve dos rodoviários da Bahia, iniciada na última quarta-feira, 23, segundo informações do Sindicato dos Rodoviários do Estado. A decisão para a volta ao trabalho foi tomada durante assembleia realizada na manhã deste sábado, 26, na sede do Sindicato dos Eletricitários do Estado da Bahia.

Nesta sexta-feira, 25, a categoria, que reivindicava reajuste de 13,8%, qüinquênio, fim da terceirização, ticket de R$ 15 para 30 dias, pago também nas férias, aceitou o reajuste de 7,5% determinado pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT), durante audiência de conciliação. Segundo Cleber dos Santos maia, diretor social do sindicato, a decisão não agradou a todos os diretores e uma reunião será realizada à tarde para discutir o término da greve.

Segundo o  TRT, com o julgamento do dissídio, os desembargadores da Seção de Dissídios Coletivos concederam aos rodoviários diversos itens da pauta de reivindicações. O reajuste salarial foi de 7,5%, incidentes sobre os salários já praticados, a partir da data base de 1 de maio de 2012, e a volta do pagamento do quinquênio, que é a concessão de 5% do salário base para todos os trabalhadores com cinco anos de serviços efetivo e contínuo na mesma empresa. Além disso, cada trabalhador terá direito a tíquete alimentação para 'cada dia útil de trabalho', no valor de R$ 11,20, mediante desconto de até 20% do valor no salário.

A greve dos rodoviários, segundo o TRT, foi considerada abusiva, mas não ilegal e os trabalhadores devem retornar imediatamente ao trabalho, caso contrário os sindicatos envolvidos nos dois dissídios julgados nesta sexta terão que pagar multas, sendo R$ 50 mil por cada novo dia parado para o sindicato dos trabalhadores e R$ 25 mil para os sindicatos patronais.

Mais conteúdo sobre:
greverodoviáriosBahia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.