Termina motim em cadeia de Ribeirão das Neves (MG)

Depois de mais de dez horas de negociação, terminou no final da manhã de hoje uma rebelião na cadeia pública de Ribeirão das Neves, na região metropolitana de Belo Horizonte. Um agente penitenciário que havia sido feito refém foi libertado sem ferimentos e 62 presos foram transferidos para outros presídios da Grande Belo Horizonte. O motim teve início por volta das 22h30 de ontem. Os detentos arrebentaram o cadeado de uma das celas e dominaram o agente Geneir Rosa, de 33 anos. O funcionário estava de porte de um revólver 38, que foi tomado pelos detentos. O delegado da 10ª Seccional de Neves, Messias Correia, admitiu que não é permitido aos agentes penitenciários trabalharem armados. "O problema dessa arma, como ela entrou na cadeia, vai ser apurado em inquérito policial", informou. De acordo com o delegado, os presos reclamavam da superlotação das celas. Antes das transferências, a cadeia abrigava 122 presos - 22 já condenados - em dez celas, sendo que a capacidade, segundo a Lei de Execuções Penais, é de aproximadamente 30 detentos. Além das transferências, os rebelados reivindicavam banho de sol, visitas íntimas sem revista e que os filhos pudessem acompanhar as mulheres durante as visitas. Os detentos, contudo, concordaram em encerrar o motim por volta das 11h, quando lhe foram asseguradas as transferências. A arma foi entregue, descarregada, para o delegado. Vinte presos foram transferidos para a Penitenciária Nelson Hungria, 38 para a Dutra Ladeira, ambas em Ribeirão das Neves. Outros quatro detentos foram levados para o Centro de Remanejamento da Secretaria de Segurança Pública de Minas Gerais, em Betim.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.