Termina neste sábado à meia-noite horário de verão

Para os paulistanos, a volta ao horário normal significará uma hora a mais para usar os transportes públicos

Agência Brasil

16 de fevereiro de 2008 | 13h31

O horário de verão termina neste sábado,15, e à meia-noite os relógios deverão ser atrasados em uma hora no Distrito Federal e nos Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.  Para os paulistanos, a volta ao horário normal, no sábado, significará uma hora a mais para usar os transportes públicos. Todos os ônibus, trens ou metrôs que estiverem em circulação à meia-noite terão de estender o funcionamento por mais uma hora. Os ônibus que param de circular antes da meia-noite sofrerão alterações. Nas estações do metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), nos aeroportos, casas noturnas, hotéis, cafés, restaurantes e cinemas da cidade, o expediente também terá uma hora a mais.  As linhas 1, 2 e 3 do metrô, as seis linhas da CPTM e os ônibus terão o horário estendido em uma hora. Para quem for ao cinema, atenção com o relógio. Nas salas da rede Cinemark, por exemplo, o que vale é o "horário velho" - ou seja, se houver uma sessão marcada para a 0h30, ela será realizada às 23h30 d o horário atualizado. Para quem for viajar de avião então, ainda mais atenção. A Assessoria de Imprensa da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero) sugere que os clientes liguem para as companhias para ter mais informações sobre qualquer mudança no horário dos vôos marcados para a virada de hoje para amanhã.   Energia Informações preliminares do Operador Nacional do Sistema (ONS) apontam que a redução do consumo de energia nas Regiões Centro-Oeste e Sudeste deverá ser de 1.557 megawatts, o que representa 4,2% do consumo total nessas áreas. Já na Região Sul, a redução deverá ser de 480 megawatts, o equivalente a 4,8% do consumo. Ainda segundo o ONS, a economia gerada durante os 126 dias de duração do horário de verão foi de cerca de US$ 1 bilhão, valor que poderia ser usado na construção de duas usinas térmicas a gás natural, para atender o consumo de energia das três regiões onde o horário foi adotado. No Distrito Federal, a diminuição no consumo de energia foi de 4%, de acordo com o superintendente de operações da Companhia Energética de Brasília (CEB), Marcus Fontana. "Essa redução representa 36 megawatts, o que equivale ao consumo da cidade do Guará (cidade satélite de Brasília) no período das 18h às 21h", informou. E acrescentou que se não houvesse essa redução, "o consumo poderia chegar a cerca de 900 megawatts, ou mais". Para os outros Estados da Região Centro-Oeste, a redução no consumo estimada pelo ONS é de 4% em Goiás; 3,3% em Mato Grosso; e 4,5% em Mato Grosso do Sul.

Tudo o que sabemos sobre:
Horário de verão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.