Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Termina rebelião com fuga de menores em Franco da Rocha

Terminou por volta da 1h30 da madrugada desta segunda-feira, mais uma rebelião de menores e jovens infratores, internos das Unidades 21 e 29 do Complexo de Franco da Rocha, na grande São Paulo, da Fundação Estadual para o Bem Estar do Menor (Febem). Por volta das 20h de domingo, 30 menores conseguiram fugir, pulando os muros das unidades, após dominar e fazer reféns seis funcionários. Segundo a Polícia Militar, dois carros estacionados no pátio, pertencentes a funcionários, foram parcialmente destruídos pelos adolescentes infratores. Dos 30 internos que escaparam, 25 já foram recapturados por policiais militares do 26º Batalhão. Cinco dos fugitivos foram detidos quando ocupavam um veículo Logus furtado de um dos funcionários do complexo. Um deles, por ter mais de 18 anos, ficará detido na Delegacia de Franco da Rocha. O monitor Gilberto Barbosa foi ferido na cabeça por um dos menores que o atingiu com um pedaço de telha. O monitor passa bem. A maioria dos menores que estavam fora das unidades 21 e 29 já retornou para as alas e todos os seis monitores que eram mantidos reféns foram liberados. Alguns adolescentes esperam pelo retorno dos cinco colegas levados até à delegacia para voltar às suas respectivas alas. Menores foram vistos dentro das guaritas dos seguranças mesmo após a Polícia Militar anunciar o fim da rebelião, por volta das 2h30. Cinco adolescentes também ficaram feridos, nenhum com gravidade. No total havia 159 internos nas duas unidades no momento da fuga. Uma equipe do Corpo de Bombeiros teve de ser acionada para apagar o fogo ateado em dois carros dos funcionários e em parte das unidades. Segundo a Assessoria do Sindicato dos Funcionários da Febem, essa foi a 26ª rebelião de internos no Complexo Franco da Rocha.

Agencia Estado,

17 de março de 2003 | 06h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.