Termina rebelião em presídio feminino do Rio

Após mais de 15 horas e meia terminou sem mortos a rebelião das 26 detentas do presídio Talavera Bruce, no Complexo Penitenciário de Bangu, no Rio de Janeiro. A agente penitenciária Ana Cláudia Pereira, que era mantida refém, foi libertada sem violência. Policiais e agentes estão dentro da unidade realizando a recontagem das presas. Uma das detentas, acusada de ser delatora, foi espancada por colegas e ferida na cabeça.O secretário estadual de Justiça do Rio, Paulo Saboya, continua dentro do presídio. Ele disse que vai abrir sindicância para investigar maus tratos e abusos contra as detentas. Saboya afirmou, no entanto, que não exonerará a diretora Maria de Lourdes Figueira Oliveira, como exigem as detentas. Pela manhã, as presas libertaram a agente Vera Lúcia Davina.Durante as negociações, policiais do Batalhão de Operações Especiais lançaram duas granadas de efeito moral para evitar que presas das galerias C e D escapassem. Elas quebraram as portas e paredes dos pavilhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.