Termina rebelião em presídio mineiro

Os cerca de 100 presos rebelados desde as 15h de quinta-feira na penitenciária Francisco Floriano de Paula, em Governador Valadares, Leste de Minas, libertaram os nove carcereiros que eram mantidos como reféns e encerraram o movimento, por volta das 17h de hoje. Segundo a direção da unidade, um dos agentes penitenciários foi ferido com pauladas, mas recebeu atendimento e passava bem.Os presos destruíram celas, colocaram fogo em colchões e ocuparam o telhado de um dos pavilhões, durante a rebelião. Em negociações com autoridades judiciárias, do Ministério Público e da Secretaria de Justiça de Minas, eles conseguiram a transferência de 41 detentos para penitenciárias de Ipatinga, no Vale do Aço; Teófilo Otoni, no Nordeste mineiro; Juiz de Fora, na Zona da Mata, e na região metropolitana de Belo Horizonte.InterdiçãoO juiz Wenderson de Souza Lima, da comarca de Ribeirão das Neves, próximo a Belo Horizonte, determinou intervenção do Pode Judiciário na Penitenciária José Maria Alckmin, onde há 800 detentos. O juiz afastou por "incompetência administrativa" o diretor da unidade, Abílio Abel Monteiro.Também apontou, em seu despacho, responsabilidade pela existência de irregularidades na penitenciária da secretária de Justiça de Minas, Angela Pace, a do superintendente de organização penitenciária do órgão, José Karam. Nenhum preso poderá ser transferido para a unidade enquanto durar a intervenção. O juiz tomou a decisão cerca de um mês após a Polícia Militar ter detido funcionários e internos da José Maria Alckmin que estariam fazendo tráfico de drogas com a conivência da direção. O Ministério Público investiga a existência de uma quadrilha de traficantes formada por servidores e detentos de unidades prisionais mineiras.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.