Termina sem feridos rebelião de Rondonópolis

Terminou sem feridos, depois de 48 horas de negociações, a rebelião de presos na Cadeia Pública de Rondonópolis, a 210 quilômetros de Cuiabá, sul de Mato Grosso. Oito menores infratores e três mulheres de presos dos 89 rebelados foram feitos reféns. Os últimos quatro menores que estavam em poder dos detentos amotinados foram libertados no final da manhã de hoje.Os presos se renderam e a comissão de negociação aceitou as reivindicações de transferência de 26 detentos e revisão de penas. A rebelião começou na manhã de domingo quando os rebelados renderam as vítimas e se recusaram a voltar para as celas.Os menores feitos reféns foram transferidos para a cadeia no sábado porque a única Delegacia da Infância e Adolescência da cidade foi inundada em conseqüências das chuvas de sexta-feira na cidade. As três mulheres - Sueli Silva Cordeiro, Isaura Maria Alves e Maria Dias - visitavam os maridos quando começou a rebelião na cadeia.Os menores, que também estavam sem alimentação e água, foram encaminhados para exames no Instituto Médico Legal (IML). Luz, água, telefone e alimentação foram cortados no segundo dia de motim. Com o fim da rebelião, policiais da tropa de choque da Polícia Militar entraram na cadeia. Os rebelados foram isolados em uma área sob forte esquema de segurança enquanto a PM fazia vistoria para recolher armas artesanais e colchões queimadas durante a rebelião.O juiz da Vara de Execuções Penais, Pedro Pereira Campos Filho, informou que os processos e penas dos presos serão revistos. Oito dos 26 presos foram transferidos hoje para a penitenciária da Mata Grande, em Rondonópolis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.