Teste de audição pode barrar 30% dos motoristas de ônibus

O sindicato que representa os 16 mil motoristas de ônibus na cidade de São Paulo avalia que a categoria enfrentará problemas nos exames auditivos exigidos pelas novas regras para a carteira de habilitação. "Se a regra valer mesmo, muito motorista vai ficar de fora.Fizemos testes auditivos com a categoria e 30% apresentaram problemas. Até 2005, os ônibus tinham motor na frente, e quem tem mais de 10 anos de carreira, trabalhando 15 horas por dia, tem algum tipo de distúrbio", afirma o presidente do sindicato, Jorge Issao.Para o especialista em trânsito Luiz Célio Bottura, do Instituto de Engenharia, não há no Brasil profissionais qualificados em auto-escolas para preparar e aplicar as novas regras. "Se nem o orientador está preparado para exigir as novas especificações, como podemos ter a perspectiva de contar com melhores motoristas?"Outro técnico, Horácio Figueira, destaca que é preciso mudar o processo de fiscalização e aplicar multas pesadas, principalmente ao motorista que dirige alcoolizado. "As novas medidas vão fazer os envolvidos em acidentes se responsabilizarem criminalmente. Mas é preciso fazer valer as regras, com fiscalização aleatória até de madrugada. O condutor que derruba um poste de luz sofre ação da companhia de energia. Por que não fazer que o motorista envolvido num acidente pague o resgate, o tratamento das vítimas e todos os custos que o Estado tem com isso?"

Eduardo Reina e Diego Zanchetta, O Estadao de S.Paulo

26 de fevereiro de 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.