Testemunha de processo é encontrada morta

A estudante de Direito Karina Mousquer Arndt, de 26 anos, foi encontrada morta, na manhã desta terça-feira, no banheiro de um quarto de hotel em Teresópolis, região serrana do Rio. Ela estava pendurada num gancho, com uma toalha amarrada no pescoço. A polícia vai investigar as hipóteses de suicídio e assassinato.A estudante, que nasceu no Rio Grande do Sul, participava do programa de proteção às testemunhas, porque seria ouvida em um processo de homicídio envolvendo policiais, em Mato Grosso do Sul. Karina estava hospedada no Hotel Vila Nova com a irmã Cristine, de 28 anos, há pelo menos três semanas.?Estamos apurando um caso de morte violenta e só depois de analisar as provas recolhidas no local é que saberemos se ela se matou ou se foi montado um quadro para dar essa idéia?, disse o delegado. Ele não deu detalhes sobre o processo no qual Karina era testemunha, mas disse que a investigação da morte da estudante pode ser feita pela Polícia Federal.Segundo informações de funcionários e hóspedes do hotel, houve movimentação no quarto de Karina por volta das 2 horas. Cristine teria avisado aos porteiros que sua irmã estava no banheiro e não respondia. Só duas horas mais tarde os bombeiros conseguiram arrombar a porta. A estudante vestia uma camisola e já estava com o rosto roxo. Segundo Cristine, a irmã tomava antidepressivos e estava em tratamento psiquiátrico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.