Testemunha é assassinada em Alagoas

A polícia de Alagoas confirmou que Edson Vasconcellos, conhecido como "Ueto", foi morto atiros no centro de Maceió, no final da manhã de hoje, e configurou o caso comoqueima de arquivo. Pistoleiro assumido, ele foi a principaltestemunha do caso do assassinato de Silvio Vianna, arrecadador fiscal do Estado,morto há seis anos, por contrariarinteresses de empresários alagoanos, segundo a versão de sua família. O crime, até hoje nãoesclarecido, chegou a ser revelado aos deputados federais que faziam parte da CPI doNarcotráfico. O corpo do pistoleiro ainda se encontra no InstitutoMédico Legal da capital aguardando liberação. Como eratestemunha e réu no caso Silvio Vianna, ele andava sempre acompanhado de um policial federal. A Secretaria deDefesa Social não adiantou detalhes das circunstâncias doassassinato. Condenação Na última quinta feira, depois de 22 horas dejulgamento, o Coronel Cavalcante, preso por formar uma gangue dePoliciais Militares que matava por encomenda, assaltava bancos,roubava carros e postos de gasolina, foi condenado a dezoitoanos de prisão. Neste processo o coronel foi apontado como autorintelectual da morte do delegado Ricardo Lessa e seu motoristaAntenor Carlota. Ele já cumpre pena no presídio BaldomeroCavalcante, juntamente com outros dois irmãos: Marcos eWellington, por porte ilegal de armas. Lessa era irmão do governador reeleito, Ronaldo Lessa(PSB). Depois da morte do irmão,o governador passou a contar comseguranças em tempo integral. Esta semana o governador declarouque pessoalmente identificava Cavalcante como uma dos envolvidosna morte do ex-chefe dos cofres do Estado.

Agencia Estado,

09 de novembro de 2002 | 21h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.