Testemunha incluída em programa de proteção sofre atentado em Minas

Homem é testemunha contra atuação de milícias na zona norte do Rio

Pedro Dantas e Tiago Rogero, estadão.com.br

14 Julho 2011 | 12h05

RIO - Um homem que figura como testemunha contra a atuação de milícias em Campo Grande, na zona oeste do Rio, foi localizado por criminosos e sofreu um atentado na terça-feira à noite em Lima Duarte, em Minas Gerais, onde estaria escondido com a família. Os criminosos teriam atirado contra Vicente da Silva Júnior, incluído no programa de proteção à testemunha, que conseguiu escapar. A esposa dele, no entanto, foi espancada.

 

Vicente delatou criminosos responsáveis pela morte de sete pessoas na favela do Barbante, em Campo Grande, em agosto de 2008. Paramilitares se identificaram como traficantes e mataram os moradores como forma de intimidação. O ex-PM Luciano Guinâncio Guimarães foi preso por comandar o ataque. Ele é filho do ex-vereador Jerônimo Guimarães Filho, o Jerominho, também preso por envolvimento com milícias.

 

O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Rio, deputado Marcelo Freixo (Psol), vai enviar um ofício à Secretaria Nacional de Direitos Humanos (SNDH) em busca de informações sobre o atentado.

 

Sem evidências. Em nota, a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR) informou que o casal incluído no Provita - programa federal de proteção a testemunha - já foi retirado da cidade de Lima Duarte, na Zona da Mata de Minas Gerais "por motivo de segurança".

 

No entanto, a SDH/PR divulgou que "não há evidências de uma tentativa de assassinato e o fato ainda está sendo investigado" e que "até hoje não há registro de atentados contra pessoas incluídas no Provita". O Ministério Público do Rio, que gerencia o programa mo estado, também informou que não há evidências de que tenha ocorrido um atentado.

 

Texto atualizado às 18h20.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.