Testemunha volta a ter proteção após 1 morte

A testemunha de uma chacina com sete mortos, cometida em agosto do ano passado por milícia na Favela do Barbante, zona oeste do Rio, voltou ontem ao programa de proteção. Antes, quatro pessoas de sua família sumiram e seu primo Leonardo Rodrigues, de 24 anos, foi assassinado com 12 tiros, na quarta-feira. Eles haviam desistido da proteção. A polícia do Rio criticou o governo federal por não integrar o programa ao Estado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.