Tasso Marcelo/AE
Tasso Marcelo/AE

Testemunhas dizem que agressor de motorista é estudante universitário

Sete pessoas morreram e pelos menos dez ficaram feridas em acidente no Rio

Clarissa Thomé e Luciano Bottini Filho - O Estado de S.Paulo - Atualizado às 10h45,

03 Abril 2013 | 09h17

O delegado José Pedro da Silva, da 21.ª Delegacia de Polícia (Bonsucesso), quer identificar o passageiro que teria agredido o motorista do ônibus da linha 328 (Bananal-Castelo), André Luiz da Silva Oliveira, de 33 anos. De acordo com algumas testemunhas ouvidas pelo delegado, um homem pulou a roleta, irritado porque o motorista não parou no ponto, e desferiu chutes em Oliveira. O motorista, então, perdeu a direção. O agressor seria um estudante universitário.

De acordo com o delegado, se a versão se confirmar o passageiro pode ser indiciado por homicídio doloso, em que há intenção de matar. José Pedro da Silva requisitou as imagens do circuito interno do ônibus e da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET-Rio).

Uma das pessoas que confirmam esta versão é o técnico de informática Nelson Martins Bezerra, que saiu do ônibus pouco antes do acidente. Ele disse que o motorista discutia com um passageiro e dirigia em alta velocidade até um ponto antes da colisão. A entrevista da testemunha foi concedida à TV Globo na manhã desta quarta-feira, 3. 

"Um rapaz não conseguiu descer porque o motorista fechou a porta e o ônibus começou a andar. Perto do ponto onde eu fiquei (o último antes da queda), eles já estavam discutindo", disse Bezerra.

Segundo Bezerra, que estava no último banco do veículo, o passageiro pulou a roleta e foi falar diretamente com o motorista. Neste momento, foi acionado o sinal para descida no ponto e a testemunha foi para a calçada. Ao seguir em direção à outra linha, a testemunha ouviu "um grande barulho". "Quando estava na metade do caminho da (Avenida) Brasil, escutei o barulho. Vi o ônibus do outro lado da rua virado. Eu nunca ia imaginar que era o ônibus que eu estava. Uma senhora chegou chorando: era o nosso ônibus".

O técnico de informática diz ainda que o ônibus estava acima da velocidade para coletivos de transporte até a parada onde ele saiu. No entanto, para ele, "não havia distância suficiente para embalar tanto, acho que (o acidente) foi mesmo pela discussão dos dois".

Segundo a reportagem da TV Globo, em depoimento informal, o motorista, ainda internado no Hospital Getúlio Vargas, na zona norte do Rio, alega que foi fechado por um automóvel e perdeu o controle do veículo. André Luis Oliveira teve uma fratura no fêmur e traumatismo craniano, mas passa bem. O delegado José Pedro da Silva, da 21.ª Delegacia de Polícia (Bonsucesso), que investiga o caso, deverá ainda tomar o depoimento do motorista.

Vídeos

Passageiros de ônibus que passavam perto do local registraram em vídeo a movimentação de policias, bombeiros e curiosos momentos após o acidente. Vários destes registros foram publicados no YouTube.

Mais conteúdo sobre:
Ônibusacidente

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.