Marcos de Paula/AE
Marcos de Paula/AE

Testemunhas do atropelamento do filho de Cissa Guimarães são ouvidos

Sessão corresponde à segunda parte parte da audiência de instrução do caso, ocorrido em 2010

Tiago Rogero, estadão.com.br

16 de junho de 2011 | 13h44

RIO - Os acusados pela morte do músico Rafael Mascarenhas, filho da atriz Cissa Guimarães, participam na tarde desta quinta-feira, 16, da audiência de instrução e julgamento do processo, no 2º Tribunal do Júri da Capital, no Centro do Rio. Os réus, Rafael de Souza Bussamra e o pai, Roberto Martins Bussamra, devem ser interrogados depois que forem colhidos os depoimentos de seis testemunhas de defesa.

 

Segundo denúncia oferecida pelo Ministério Público (MP-RJ), Rafael era o motorista do carro que atropelou o músico na madrugada de 20 de julho do ano passado, no Túnel Acústico, na Gávea, zona sul do Rio. O pai, Roberto, teria dado R$ 1 mil a dois policiais, o cabo Marcelo Bigon e o sargento Marcelo Leal, com promessa de pagamento de outros R$ 9 mil, para que acobertassem o caso.

 

Rafael foi denunciado pelos crimes de homicídio doloso, corrupção ativa (duas vezes), fuga de local de acidente de veículo, participação em via pública de corrida automobilística não autorizada e fraude na pendência de procedimento policial. O pai responde por corrupção ativa (duas vezes) e fraude na pendência de procedimento policial.

 

O irmão de Rafael, Guilherme de Souza Bussamra, também foi denunciado, por fraude na pendência de procedimento policial, assim como Gabriel Henrique de Sousa Ribeiro, por participação em via pública de corrida automobilística não autorizada. Em dezembro de 2010, o juiz do 2º Tribunal do Júri, Paulo de Oliveira Lanzelotti, determinou a Gabriel o pagamento de 10 salários mínimos e a suspensão da carteira nacional de habilitação (CNH). A Guilherme, determinou o pagamento de cinco salários mínimos.

 

A seção de hoje corresponde à segunda parte da audiência de instrução e julgamento. Em 29 de março, foram ouvidas quatro testemunhas de acusação e seis de defesa. A audiência dos policiais denunciados está marcada para 28 de setembro, às 12h, na sede da Auditoria da Justiça Militar do Rio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.