Tasso Marcelo/AE
Tasso Marcelo/AE

Testemunhas reconhecem agressor de motorista de ônibus por foto

Agressor seria um estudante universitário que está internado por conta de uma fratura no maxilar

Heloisa Aruth Sturm, Clarissa Thomé e Luciano Bottini Filho - O Estado de S.Paulo,

03 Abril 2013 | 14h31

Duas testemunhas do acidente ocorrido na tarde dessa terça-feira em um viaduto da Avenida Brasil, que deixou sete mortos e outros 11 feridos, prestaram depoimento na 21ª DP e vão para o Hospital Miguel Couto para fazer o reconhecimento do agressor do motorista que conduzia o ônibus municipal. De acordo com uma das investigadoras, eles já reconheceram o suspeito por fotos. O agressor é estudante universitário e está internado no hospital municipal, em decorrência de fratura no maxilar causada pelo impacto da queda do ônibus de uma altura de dez metros.

Agressão

De acordo com algumas testemunhas ouvidas pelo delegado José Pedro da Silva, um homem pulou a roleta ao ficar irritado porque o motorista André Luiz da Silva Oliveira não parou no ponto. O agressor teria desferido chutes em Oliveira. O motorista, então, perdeu a direção.

De acordo com o delegado, se a versão se confirmar o passageiro pode ser indiciado por homicídio doloso, em que há intenção de matar. José Pedro da Silva requisitou as imagens do circuito interno do ônibus e da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET-Rio).

Uma das pessoas que confirmam esta versão é o técnico de informática Nelson Martins Bezerra, que saiu do ônibus pouco antes do acidente. Ele disse que o motorista discutia com um passageiro e dirigia em alta velocidade até um ponto antes da colisão. A entrevista da testemunha foi concedida à TV Globo na manhã desta quarta-feira, 3.

"Um rapaz não conseguiu descer porque o motorista fechou a porta e o ônibus começou a andar. Perto do ponto onde eu fiquei (o último antes da queda), eles já estavam discutindo", disse Bezerra.

Segundo Bezerra, que estava no último banco do veículo, o passageiro pulou a roleta e foi falar diretamente com o motorista. Neste momento, foi acionado o sinal para descida no ponto e a testemunha foi para a calçada. Ao seguir em direção à outra linha, a testemunha ouviu "um grande barulho". "Quando estava na metade do caminho da (Avenida) Brasil, escutei o barulho. Vi o ônibus do outro lado da rua virado. Eu nunca ia imaginar que era o ônibus que eu estava. Uma senhora chegou chorando: era o nosso ônibus".

O técnico de informática diz ainda que o ônibus estava acima da velocidade para coletivos de transporte até a parada onde ele saiu. No entanto, para ele, "não havia distância suficiente para embalar tanto, acho que (o acidente) foi mesmo pela discussão dos dois".

Segundo a reportagem da TV Globo, em depoimento informal, o motorista, ainda internado no Hospital Getúlio Vargas, na zona norte do Rio, alega que foi fechado por um automóvel e perdeu o controle do veículo. André Luis Oliveira teve uma fratura no fêmur e traumatismo craniano, mas passa bem. O delegado José Pedro da Silva, da 21.ª Delegacia de Polícia (Bonsucesso), que investiga o caso, deverá ainda tomar o depoimento do motorista.

Vídeos

Passageiros de ônibus que passavam perto do local registraram em vídeo a movimentação de policias, bombeiros e curiosos momentos após o acidente. Vários destes registros foram publicados no YouTube.

Mais conteúdo sobre:
Ônibus acidente Avenida Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.