Testemunhos de seqüestros incriminam Andinho

As duas audiências sobre seqüestro com testemunhas de acusação, nesta quinta-feira, no Fórum de Campinas, apontaram provas contra o seqüestrador Wanderson Nilton de Paula Lima, oAndinho, conforme o promotor público Carlos Eduardo Ayres de Farias. ?As provasproduzidas hoje (quinta) são suficientes para levar à condenação nesses casos?, afirmou.As audiências ocorreram na manhã desta quinta-feira, sobre o seqüestro de um rapaz em agosto de 2001, e à tarde, de uma mulher em janeiro de 2002. Nesta sexta-feira deve ocorrer a últimaaudiência de Andinho em Campinas nesta semana, sobre o caso de outro rapaz seqüestrado também em 2001.A Promotoria Pública pediu que a identidade das vítimas fosse mantida em sigilo. Desde sexta-feira passada, Andinho já participou de cinco audiências sobre seqüestros e de um caso de denúncia caluniosa contra policiais, que também envolve seqüestro.Depois da audiência desta sexta, ele deverá voltar ao presídio de segurança máxima de Presidente Bernardes. A polícia não informa quando será a transferência. Um efetivo de 60 homens foi mobilizado para garantir a segurança durante a passagem de Andinho por Campinas.Ele está em uma cela especial do Complexo Penitenciário de Hortolândia.Farias comentou que o Ministério Público está aguardando o levantamento dos bens de Andinho e o relatório de suas contas bancárias, cujo sigilo foi quebrado pela Justiça, para pedir o seqüestro dos bens do acusado. Não há previsão de quando osdocumentos serão apresentados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.