Thomaz Bastos confirma intenção de sair do governo

O ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, confirmou neste domingo a intenção de deixar o governo caso o presidente Luiz Inácio Lula da Silva consiga se reeleger. "Eu me programei para quatro anos. Depende, claro, do presidente, mas creio que é hora de o País ter outro ministro da Justiça", declarou Bastos logo após votar, na Escola Estadual Ministro Costa Manso, no Itaim Bibi, zona sul de São Paulo. "Tudo na vida tem o seu termo."O ministro afirmou ter apreciado a função na qual esteve por quatro anos. "Gostei muito do ministério. Foi realizado um trabalho de integração, de muito investimento na inteligência da Polícia Federal, que, nesta investigação, mostra a sua impessoalidade. Enfim acredito que avançamos muito nesses quatro anos", disse.Sobre o dossiê Vedoin, que, no momento, se concentra na busca da origem do dinheiro que foi encontrado com petistas, Bastos garantiu que o trabalho continua na mesma intensidade após a eleição. "A investigação não vai acelerar nem retardar porque nunca acelerou nem retardou, mas foi conduzida a termo e deverá ser concluída assim." Bastos classificou de "armação" os recentes depoimentos sobre a origem do dinheiro.Ele evitou fazer previsões após votar. "Ainda é prematuro", disse. Mas deixou escapar que considerava a vitória de Lula como certa. "Estamos vivendo uma festa. É um milagre da democracia representativa", afirmou a respeito da eleição. "Esperamos que seja um resultado que sirva para conciliar a sociedade."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.