Thomaz Bastos define hoje transferência de Beira-Mar

O ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, dará uma definição ainda hoje sobre a transferência de presídio do traficante Fernandinho Beira-Mar, apontado por autoridades cariocas como autor dos tumultos que ocorrem no Rio de Janeiro desde ontem à noite. Segundo o ministro, o bom senso indica que tirar o traficante do Rio de Janeiro irá melhorar a situação na cidade. Ele citou presídios de Brasília, Acre e São Paulo como possíveis locais para a transferência do traficante. Conforme Thomaz Bastos, alguns integrantes da Polícia Federal alegam que o tumulto no Rio de Janeiro "é obra do Comando Vermelho". O ministro da Justiça afirmou que não se cogita, no momento, uma intervenção federal no Rio de Janeiro, e nem a colocação do Exército para reforçar a segurança da cidade. O ministro conversou por volta das 10h30 com a governadora Rosinha Matheus e a informou que a Polícia Federal estava à disposição dela. Recebeu a informação de que a governadora colocou toda a força policial nas ruas, e de que em alguns pontos da cidade estavam ocorrendo tiroteios. Na opinião de Thomaz Bastos, a situação é difícil e a solução passa por uma reforma do judiciário e pelo combate à lavagem de dinheiro, de tráfico de drogas e de seres humanos. Ele acha inadmissível aceitar toque de recolher de traficantes e prometeu "erradicar de vez a situação".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.