Thomaz Bastos quer revisão da Lei de Crimes Hediondos

O ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, defendeu hoje a revisão da Lei de Crimes Hediondos, que agravou a partir de 1990 a punição para crimes considerados graves, como tráfico de drogas, latrocínio e seqüestros. O ministro quer saber se o aumento das punições trouxe benefícios para a sociedade ou não, se reduziu a criminalidade, e se agravou ou melhorou a situação dos presídios. "É uma discussão que o País não pode evitar de fazer", disse o ministro, depois da solenidade de criação da Força Nacional de Segurança Pública, cuja primeira turma está sendo treinada na Academia Nacional da Polícia Federal. A Força é integrada por policiais de elite de todos os Estados brasileiros, para intervir em situações de calamidade, de rebeliões ou de graves ameaças à segurança pública. Thomaz Bastos disse que as prioridades do Ministério neste ano são a reforma do sistema penitenciário - que tem um déficit de mais de 100 mil vagas e que está, na opinião do ministro, "à beira do abismo" - e a reforma do Poder Judiciário, que continua tramitando no Congresso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.