Marcos de Paula/AE
Marcos de Paula/AE

Thor não foi multado porque o sistema do Detran estava fora do ar

Filho de Eike Batista dirigia Ferrari sem a placa dianteira, mas não foi autuado

Gheisa Lessa - Central de Notícias,

09 Maio 2012 | 14h59

São Paulo, 9 - O Detran do Rio de Janeiro informou nesta quarta-feira, 9, que filho do empresário Eike Batista, Thor Batista, de 20 anos, não foi autuado por estar dirigindo veículo sem placa na tarde do último domingo, 6.

Nesta quarta, o Detran informou que o jovem não chegou a ser multado por desrespeitar o Código de Trânsito Brasileiro ao trafegar sem a placa dianteira do veículo, porque o sistema de operação do órgão não estava funcionando no momento da autuação.

Conforme informações do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Thor Batista foi parado por uma blitz do Detran na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio. O motivo da ação foi porque a Ferrari, modelo 458, estava sem a placa dianteira. Os agentes do Departamento não conseguiram acessar o sistema para concluir a multa, mas o veículo foi apreendido.

A assessoria de imprensa do Detran não soube dizer por quanto tempo o sistema ficou fora do ar no último domingo, ao menos quais regiões do Rio foram afetadas pela falha.

Ao ser questionado sobre a procedência do caso, o Detran afirma que o veículo sem placa havia sido transferido de São Paulo para o Rio e, caso o carro ainda esteja no prazo de transferência de proprietário, a irregularidade deixa de existir.

Segundo o Detran do Rio, toda vez que um carro passa por uma transferência de proprietários entre estados, a placa deve ser alterada para correção do atual endereço. O prazo para a troca de placas, a partir do documento de compra e venda, é de 30 dias, segundo o Detran do Rio. Neste caso, uma empresa de Ribeirão Preto, interior de São Paulo, era a proprietária da Ferrari.

O departamento apura a data do documento de compra e venda da Ferrari de Thor para então afirmar se o veículo estaria realmente irregular. O órgão afirma ainda que há diferentes medidas entre os Departamentos Estaduais de Trânsito do Brasil, para tanto o caso está sendo apurando de acordo com o Detran de São Paulo para que a decisão tomada seja de acordo com o órgão dos dois estados.

O jovem aguarda a conclusão do inquérito sobre o atropelamento do ciclista Wanderson dos Santos, em março. Santos morreu ao ser atingido pelo Mercedes de Thor na Baixada Fluminense.

Mais conteúdo sobre:
thor batistaferrarimultacarro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.