Tigresa ataca e mata funcionário de zôo de Brasília

Uma tigresa matou nesta terça-feira o tratador doZoológico de Brasília Édson Nunes, de 29 anos, quando ele tentava alimentá-la. O tratador entrou na área de manejo, de acesso exclusivo a veterinários e tratadores e que dá acesso ao local de exposição pública do animal, mas uma das portas de segurança estava destrancada.A tigresa, que tem um filhote de quatro meses, atacou o tratador, que deixou um filho decinco anos. Marcas das garras e de mordidas ficaram na nuca e no peito de Édson, quemorreu no próprio local.Edson era especializado em felinos e já estava na função há três anos. ?Era um excelente funcionário?, lamentou nesta terça o diretor do Zoológico, Raul Gonzalez, que determinou a apuração das responsabilidades.O diretor quer saber por que Edson desceu sozinho para tratar a tigresa. Pelo procedimento normal, ele deveria ter sido acompanhado de outro tratador. É uma medida de prudência. Apenas quando o alarme disparou se percebeu que algo deerrado acontecia no local.Gonzalez explicou que os recintos reservados aos felinos têm total segurança. Vários portões isolam o local de exposição do animal das áreas de acesso dos tratadores.O diretor espera que a perícia da Polícia Civil ajude a elucidar o acidente. Segundo ele,em 43 anos de existência do zoológico, nunca havia ocorrido um acidente fatal. ?Errossó não acontecem com quem nunca faz nada?, ponderou. O animal, que tem 15 anos deidade e está na quinta ninhada, não invadiu a área de circulação do público.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.