Tio é condenado por filmar sobrinha no banheiro no Rio Grande do Sul

Pai da garota descobriu fita com imagens da filha e de outras mulheres

Priscila Trindade, estadão.com.br

06 Setembro 2011 | 11h26

SÃO PAULO - A Justiça do Rio Grande do Sul condenou um homem que manteve uma câmera escondida no banheiro para filmar a sobrinha e outras mulheres nuas e seminuas. Ele foi condenado a pagar R$ 27,5 mil para a jovem.

 

A sobrinha contou que desde criança ela e os irmãos visitavam o tio. O pai da garota descobriu as fitas de vídeo com imagens da filha e de outras mulheres e decidiu registrar o fato na Delegacia de Polícia.

 

Em 1º Grau, o Juiz Sergio Augustin fixou a indenização em R$ 15 mil. Ambas as partes recorreram da decisão e a 9ª Câmara Cível aumentou o valor a ser pago pelo réu. O tio confirmou a existência da filmadora instalada no banheiro, mas alegou que a sobrinha continuou a frequentar sua casa mesmo sabendo da câmera no banheiro.

Para o desembargador Tasso Cauby Soares Delabary, a jovem foi submetida a uma situação que atenta contra o direito à intimidade, à privacidade e sua integridade moral, uma situação vexatória e constrangedora.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.