Tiro que feriu Luciana pode não ter partido do Turano

O tiro que pode ter deixado tetraplégica a estudante Luciana Gonçalves de Novaes, de 19 anos, talvez não tenha partido do Morro do Turano, que fica nos fundos do campus da Universidade Estácio de Sá, no Rio Comprido (zona norte).Imagens registradas por câmeras do circuito interno de vigilância do campus, que estão em poder da Secretaria da Segurança Pública, mostrariam isso.Nesta sexta-feira, o chefe de Polícia Civil, Álvaro Lins, apreendeu as armas de todos os vigilantes da universidade para fazer exames de balística. Ao contrário do que acreditavam os médicos, o tiro que feriu Luciana não era de fuzil, mas, provavelmente, de pistola.Veja o especial:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.