Tiro que matou jovem em Heliópolis partiu de GCM

O guarda-civil municipal Vicente Pereira Passos, de São Caetano do Sul, será indiciado hoje por homicídio culposo (sem intenção) pela morte da estudante Ana Cristina de Macedo, de 17 anos. Laudo do Instituto de Criminalística (IC) aponta Passos como o autor do disparo que matou a jovem. Ele vai responder ao processo em liberdade.

Felipe Oda, O Estadao de S.Paulo

11 de setembro de 2009 | 00h00

Em 31 de agosto, Ana Cristina voltava da escola quando foi baleada, na favela de Heliópolis, zona sul de São Paulo, durante uma perseguição entre GCMs de São Caetano e bandidos que tinham roubado um carro. A morte provocou revolta nos moradores da favela, que incendiaram veículos e entraram em confronto com a PM.

Afastado desde o incidente, Passos poderá ser demitido, de acordo com a Prefeitura de São Caetano. Os outros dois guardas que o acompanhavam na perseguição, Edson Damião Estevam e Luziel Pereira da Costa, também estão afastados e "responderão a um processo administrativo", afirma Gilmar Contrera, titular do 95º DP (Heliópolis). Para Contrera, Passos responderá ao processo em liberdade, pois não há indícios de que houve intenção na morte da jovem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.