Tiros dentro de escola matam 1 aluno e ferem 2 em Petrolina

Tumulto começou quando adolescente acusado de roubar bicicleta invadiu a escola para fugir de populares

Paulo R. Zulino, estadao.com.br

08 de fevereiro de 2008 | 09h16

O primeiro dia de aula foi marcado por uma tragédia em uma escola particular de Petrolina, no sertão de Pernambuco. Um aluno de 12 anos foi morto, atingido por um tiro de autoria ainda desconhecida, e outros dois garotos, de 10 e 14 anos, ficaram feridos e foram atendidos no Hospital Geral de Urgências da cidade. Segundo as primeiras informações policiais, eles não correm perigo.   O tumulto aconteceu quando um adolescente de 15 anos acusado de roubar uma bicicleta, estava sendo perseguido por populares. Para tentar escapar, ele invadiu a Escola Encanto, na Rua João Amaro Ferreira, bairro Cohab Massangano. O vigilante do colégio, Franciraldo Oliveira da Silva, de 38 anos, teria entrado em luta corporal com o adolescente e teria efetuado um disparo, que acertou um muro. O dono da escola teria sido apontado como o autor dos disparos que acabaram vitimando as crianças.   A arma do vigia, um revólver calibre 38, foi apreendida. A policia ainda não sabe a autoria dos disparos que mataram o garoto e feriram os outros alunos. Segundo informações policiais, ficou inicialmente constatado que a arma do vigia só efetuou um disparo, pois os cinco dos seis cartuchos da arma estavam intactos.   O vigilante, o adolescente acusado de roubar a bicicleta e o proprietário do colégio, identificado como Joildo de Oliveira Gomes de Sousa, foram levados para o 1º Distrito Policial de Petrolina, onde a ocorrência foi registrada. O dono da escola teria sido apontado como o autor dos disparos que acabaram vitimando as crianças. No entanto, somente o exame residuográfico de pólvora nas mãos e a análise de balística poderão ajudar na identificação do responsável pelos tiros que provocaram a tragédia que abalou a cidade.

Tudo o que sabemos sobre:
violênca na escolaPetrolina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.