AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Tiros repelem tentativa de invasão de 200 sem-terra

Um grupo de sem-terra com mais de 200 pessoas foi repelido com tiros e pancadaria ao tentar invadir a Fazenda Santo Antônio, localizada em Paranhos, extremo sul de Mato Grosso do Sul, na divisa com o Paraguai. Os tiros, pauladas e pontapés feriram José Francisco de Souza, 34 anos, Antônio Antunes de Lara, 53 anos, Guiomar Terezinha de Mello, 12 anos, Roseli Barrim Gustódio, 32 anos e Diva de Oliveira, 38 anos.O caso mais grave foi o de Diva que ficou ferida por espancamento e por um tiro, cuja bala pegou de raspão a orelha direita. Ela ficou internada durante a noite toda e foi dispensada hoje por volta de 8h.Antônio Lara recebeu um tiro no braço e José de Souza um tiro na perna. Os demais tiveram escoriações e ferimentos leves. Todos foram atendidos no Hospital Municipal de Paranhos.Tudo começou logo depois das 17h de ontem, quando os sem-terra que estavam acampados em frente da Fazenda Santa Rita II, vizinha da Santo Antônio para onde resolveram levar o acampamento com 95 barracas de lona plástica. Ao chegarem no local foram cercado por dezenas de homens armados, que sem qualquer aviso começaram a disparar armas de fogo e bater nos trabalhadores rurais.Os sem-terra são filiados a CUT-Rural (Central Única de Trabalhadores Rurais). Paulo César Faria, um dos coordenadores da entidade disse que a confusão durou quase duas horas. "Muito mais sem-terra saíram feridos da briga, porém apenas cinco resolveram passar no hospital porque foram feridos a tiros", comentou. Ele garantiu que os sem-terra não invadiriam a fazenda, afirmando que somente trocariam o acampamento de lugar, acampando em frente a Santo Antônio, contrariando informações contidas no Boletim de Ocorrência Policial, da Delegacia de Polícia Civil de Sete Quedas, registrado como tentativa de invasão de fazenda.Em Rio Brilhante, leste do Estado, as 70 famílias também ligadas a Cut-Rural, que invadiram a Fazenda Segredo sexta-feira passada, conseguiram afugentar os peões que tentaram durante a madrugada de hoje, tirar os sem-terra do imóvel. Os invasores dispararam vários rojões de fogos de artifícios (cada um com seis tiros) sobre os empregados do local, que desistiram da desocupação.

Agencia Estado,

03 de junho de 2001 | 14h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.