Tiroteio entre polícia e traficantes fecha quatro escolas na no Rio

O medo da guerra do tráfico levou a Secretaria Municipal de Educação do Rio a fechar, na tarde desta quarta-feiratarde, quatro escolas da Ilha do Governador, zona norte da cidade, onde estudam 2.655 alunos. Assustadas com um confronto entre policiais e traficantes do Morro do Barbante, que fica próximo às escolas, as mães dos alunos resolveram buscar seus filhos antes do fim do primeiro turno. A prefeitura decidiu então suspender as aulas.A coordenadora da 4ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), Márcia Simões Mattos, contou que, durante o turno da manhã, algumas mães já haviam aparecido para apanhar os filhos, depois que um tiroteio com a polícia resultou na prisão do traficante Wagner da Conceição, de 19 anos, o Buiú, líder do comércio de drogas no morro."Numa situação de conflito, as mães querem que as crianças fiquem em casa", disse Márcia. Buiú foi baleado durante a troca de tiros e internado no Hospital Souza Aguiar. Na operação policial, foi apreendido um fuzil G3, uma carcaça de pistola e munição.De acordo com a coordenadora da 4ª CRE, as mães, os alunos e os funcionários das escolas vivem com medo dos confrontos. "A gente quer trabalhar, as crianças querem estudar e os pais querem que haja aula. Mas é preciso haver uma política de segurança pública que garanta nossa segurança."Para nesta quinta-feira, a previsão da prefeitura para as escolas municipais Alberto de Oliveira, Anita Garibaldi, Professor Lavínia de Oliveira Dório e Tenente Pedro de Lima Mendes é de funcionamento normal.Beira-MarO traficante Wilton Teixeira de Araújo, também conhecido como Geladeira, de 36 anos, foi preso nesta quarta-feira de manhã por policiais da Divisão Anti-Seqüestro (DAS). Ele seria integrante da quadrilha de Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar e gerenciava o tráfico na favela Beira-Mar, na Baixada Fluminense.Segundo o delegado da DAS, Paulo Cesar Guimarães, que investiga as ações da quadrilha desde sua primeira formação em 1996, Geladeira, também era responsável pela administração dos bens que Beira-Mar mantém na favela. Guimarães informou que o local é o único na cidade onde a droga fornecida pela quadrilha do traficante é vendida "no varejo", já que Beira-Mar é um distribuidor de entorpecentes que trabalha "no atacado".O delegado também disse que a quadrilha de Beira-Mar tem aproximadamente 40 pessoas e que 32 já foram presas. Uma das que está sendo procurada é o traficante Sandro Mendonça, que usa os apelidos "Bill" e "Jorge Tadeu" ao mesmo tempo. De acordo com as investigações, ele estaria fora do país, ocupando o lugar de Beira-Mar na distribuição da droga, mas ainda sob o comando do líder.Na Favela do Terreirão, no Recreio dos Bandeirantes, zona oeste, os traficantes Eider Cartácio de Oliveira Júnior, o Sinistro, de 20 anos, e seu cúmplice identificado apenas por Sandro, o Pará, de 20 anos presumíveis, foram assassinados a tiros na madrugada de hoje.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.