Tiroteio interrompe tráfego na Linha Vermelha

Um tiroteio entre traficantes e policiais militares de quatro batalhões interrompeu, por quase duas horas, o trânsito na Linha Vermelha, importante via expressa que liga a Baixada Fluminense ao centro da capital fluminense. O confronto ocorreu nesta madrugada, depois que um motorista não identificado, cujo carro enguiçou, reagiu a tiros à abordagem dos criminosos. Ninguém ficou ferido. Acionada pelo motorista, por telefone celular, a PM logo chegou ao local. A Linha Vermelha, cenário constante de cenas de violência, é cercada pelas favelas que formam o Complexo da Maré. Durante o dia, o policiamento foi reforçado nas favelas Nova Holanda, Parque União, Rubensn Vaz e Manguinhos, ocupadas por tempo indeterminado. Segundo o comandante do 22.º batalhão da PM, tenente-coronel Mauro Figueiredo, 35 policiais percorreram essas comunidades em busca dos crimonosos. Segundo o major Maurício Santos, da PM, o comandante geral da corporação ordenou imediatamente mais operações na Linha Vermelha, em coletivos e pontos críticos, como o local onde houve o tiroteio. "A polícia está presente. Tanto é que na ocorrência de hoje a ameaça não se concretizou, pois a polícia chegou de imediato", afirmou. O efetivo de quatro carros, que fica 24 horas de plantão na Linha Vermelha, deve ser aumentado.

Agencia Estado,

19 de abril de 2001 | 18h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.