Tiroteio no Rio envolve 50 policiais e traficantes

Pela segunda vez em cinco dias, a Linha Amarela, via expressa que liga as zonas norte e oeste do Rio, foi fechada por causa de um tiroteio entre policiais e traficantes, nesta quinta-feira de madrugada. Testemunhas disseram que eram mais de cinqüenta homens armados circulando a pé. O tráfego foi paralisado por cerca de 40 minutos.Apavorados, motoristas davam marcha à ré para escapar dos tiros. Um PM ficou ferido e ninguém foi preso. O confronto começou pouco depois da meia-noite, na altura da Favela Vila do João, no Complexo da Maré. Os policiais faziam o patrulhamento da pista em direção à Ilha do Governador, bairro da zona norte da cidade, e foram surpreendidos pelos tiros disparados pelos criminosos.O sargento José da Silva Milona foi atingido no ombro esquerdo, mas não corre risco de vida. Por volta das 21 horas, uma equipe de policiais civis do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) passava pelo viaduto, na altura da Vila do João, rumo à Ilha do Governador, quando os bandidos atiraram em direção à viatura. Os policiais pediram reforço do 22º Batalhão da PM.Quando o reforço chegou, a equipe do ICCE estava refugiada numa lanchonete próxima à área. A comandante da 8ª CIPM, Ana Cláudia Siciliano, não confirmou a informação que chegou a circular nesta quinta de manhã, de que os bandidos pretendiam atacar a 21ª Delegacia Policial (Bonsucesso), que já estaria com policiamento reforçado por conta de uma denúncia de que seria alvo de bandidos.?Desconheço essa informação?, afirmou, acrescentando que o tiroteio foi um evento isolado. A delegacia negou a denúncia. Os tiroteios na Linha Amarela são constantes. No último sábado, o trânsito parou por quase uma hora por causa de um confronto entre policiais e traficantes da Vila do João ? que é uma das favelas mais perigosas do Rio.Policiais que atuam na região dizem que os traficantes da Vila do João costumam ficar escondidos em cima de contêineres que ficam num depósito próximo à via e à Avenida Brasil e atiram quando passam carros da polícia, para impedir a entrada dos policiais na favela.Nesta quinta-feira, a LAMSA, concessionária que administra a Linha Amarela, enviou nota informando que a 8ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM) faz policiamento ostensivo em todo o trecho da via expressa. Para aumentar a segurança no local, o governo do Estado planeja estender à via o policiamento com helicópteros equipados com holofotes.A comandante da 8ª CIPM informou que a Linha Amarela tem policiamento reforçado diariamente pelos batalhões de polícia dos bairros que são cortados pela via expressa. Além disso, acrescentou, agentes da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) e do Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran) ajudam nas rondas.Em Turiaçu, zona norte do Rio, houve outro confronto entre PMs e traficantes. PMs faziam uma operação de rotina no local quando se depararam com seis bandidos que seriam da Favela da Horta. Durante o confronto, um bandido foi baleado e morreu na emergência do Hospital Carlos Chagas. Com ele foram apreendidos, segundo a PM, um revólver, uma espingarda e 154 sacolés de cocaína.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.