Titular dos Transportes terá de explicar licitação do Metrô

Além de ouvir José Luiz Portella. Comissão de Serviços e Obras da Assembleia pretende convocar Paulo Preto

Moacir Assunção, O Estado de S.Paulo

18 Novembro 2010 | 00h00

A bancada do PT na Assembleia Legislativa paulista vai interpelar o secretário de Transportes Metropolitanos, José Luiz Portella, para que ele preste esclarecimentos na Comissão de Serviços e Obras Públicas sobre uma licitação do Metrô para a ampliação da Linha 5.

Os deputados da comissão, presidida pelo petista Simão Pedro, também pretendem convocar o ex-diretor da Dersa - empresa ligada à Secretaria de Transportes comandada por Mauro Arce - Paulo Vieira de Souza, conhecido como Paulo Preto, além do atual diretor, José Max Alves Reis, para prestar esclarecimento sobre a contratação de empreiteiras representadas pela filha de Paulo Preto, Tatiana Arana Souza.

Simão Pedro pretende usar o artigo 52-A da Constituição Estadual que prevê o comparecimento uma vez por semestre de secretários estaduais às comissões para prestar contas de sua atuação e esclarecer dúvidas.

De acordo com o parlamentar, seriam votados na semana passada em reunião da comissão requerimentos de sua autoria para a convocação de Portella e Paulo Preto, mas os deputados governistas que a integram boicotaram a reunião. "Vamos convocar e o secretário terá que comparecer. Não o fazendo, se caracterizará crime administrativo", disse Simão Pedro.

Além da convocação de Portella, o requerimento do deputado também pede que sejam convocados membros da comissão de licitação do Metrô responsáveis pela concorrência para a ampliação da Linha 5 do Metrô.

O resultado oficial foi anunciado dia 21 de outubro, mas o jornal Folha de S. Paulo já conhecia os nomes dos vencedores desde abril. Procurada, a assessoria da secretaria não se manifestou. Líder do governo na Casa, o deputado Barros Munhoz (PSDB) também não quis comentar o assunto. Integrantes da comissão, Orlando Morando e Analice Fernandes não foram encontrados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.