TJ concede habeas corpus a acusados de tentar matar sindicalista

A 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça (TJ) concedeu hoje habeas corpus a dois homens acusados de participação da tentativa de assassinato do diretor do Sindicato dos Motoristas de Ônibus, Marco Antônio Coutinho. O crime aconteceu em 19 de julho do ano passado. Foram expedidos alvarás de soltura em favor de Paulo Cesar Barbosa, apontado como mandante do crime, e Paulo Sérgio da Silva Santana. Segundo a acusação, Marco Antônio foi eleito secretário de saúde do sindicato em 2000, e Paulo Sérgio foi eleito suplente para o mesmo cargo. Ainda de acordo com a acusação, Paulo Cesar teria montado um esquema de corrupção, que teria esbarrado em Marco Antônio. Paulo Cesar, então, teria decidido matar o sindicalista para ser empossado no cargo.Ele contratou, então, José Raimundo da Cruz, que está foragido, e Paulo Sérgio para matar Marco Antônio. Na noite de 19 de julho de 2001, um automóvel emparelhou com o veículo do sindicalista, e os ocupantes dispararam contra Marco Antônio. No entanto, os tiros não o atingiram. Quatro testemunhas foram assassinadas no decorrer do processo, mas não existe qualquer prova do envolvimento de Paulo Cesar e Paulo Sérgio nesses crimes. A única acusação concreta que existe contra eles é de co-autoria em tentativa de homicídio, que não justifica a manutenção da prisão preventiva.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.