TJ dá liminar contra o auditório do Ibirapuera

O desembargador Demóstenes Braga, do Tribunal de Justiça (TJ), acolheu recurso do Ministério Público e concedeu liminar para impedir a Prefeitura de São Paulo de iniciar a construção de um auditório de 4.870 metros quadrados, no Parque do Ibirapuera. Para o desembargador, a concessão da liminar é um imperativo para evitar "lesão grave e de difícil reparação que o imediato desencadeamento das obras poderia ocasionar".A decisão de Braga será válida até o julgamento final do recurso, por três desembargadores integrantes da Primeira Câmara de Direito Público do TJ, o que ocorrerá, provavelmente, nos próximos 40 dias.Com isso, ficou sem efeito decisão do juiz da 12ª Vara da Fazenda Pública, Romolo Russo Júnior que, na semana retrasada, havia negado liminar. O Ministério Público alega que o projeto trará prejuízo irreparável ao meio ambiente, além de violar a resolução de tombamento do Parque do Ibirapuera, que proíbe o aumento de áreas construídas e a redução das áreas verdes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.