TJ nega pedido de prisão de Pimenta Neves

O jornalista Antonio Marcos Pimenta Neves, condenado a 19 anos, 2 meses e 12 dias de prisão pelo assassinato da ex-namorada, a também jornalista Sandra Gomide, em 20 de agosto de 2000, na cidade de Ibiúna, interior de São Paulo, deve continuar em liberdade. A decisão é da 10ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo, que rejeitou pedido do advogado Sergei Cobra Arbex, assistente de acusação. Liminarmente, o pedido tinha sido negado em maio passado.Os desembargadores não chegaram a discutir se a decisão do juiz de Ibiúna, Diego Ferreira Mendes, de manter o réu em liberdade depois da sentença condenatória, foi acertada ou não, pois acreditam que isso só pode ser feito após o julgamento da apelação.No entanto, o relator, desembargador Carlos Bueno, garantiu que as apelações serão julgadas com a mesma rapidez que foi o mandado de segurança - a peça foi ajuizada no começo de mês de maio e a liminar foi proferida no dia 16. O julgamento do mérito veio menos de um mês depois. Por isso, Sergei Cobra disse que vai continuar recorrendo na Justiça de São Paulo e acredita na prisão de Pimenta Neves, que obteve o direito de apelar da sentença em liberdade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.