AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

TJ nega recurso e Gil Rugai vai a júri popular

O ex-seminarista Gil Rugai, acusado de assassinar a tiros o pai e a madrasta em 28 de março de 2004, vai mesmo a júri popular. A 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça negou um recurso da defesa de Rugai, que visava derrubar a decisão que o mandou a júri popular.Rugai é acusado de duplo homicídio qualificado, cuja pena vai de 24 a 60 anos de prisão, pelo assassinato do publicitário Luiz Carlos Rugai e de Alessandra de Fátima Troitino.Em 19 de abril, o Supremo Tribunal Federal (STF) concedeu habeas-corpus em favor do acusado, que foi libertado após passar 2 anos e 13 dias preso preventivamente.O recurso de Gil Rugai foi indeferido por unanimidade pelos desembargadores Luiz Soares (relator), Euvaldo Chaid e Marco Antonio Costa. Eles entenderam que estão presentes os pressupostos legais para manter a sentença de pronúncia, provas sobre a materialidade (existência do crime) e suficientes indícios de autoria contra o réu.

Agencia Estado,

09 de maio de 2006 | 14h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.