TJ nega redução de pena para Suzane von Richthofen

Suzane von Richthofen, condenada a 39 anos e seis meses de prisão por ter assassinado os pais, Manfred e Marísia, em outubro de 2002, em São Paulo, teve mais um pedido de habeas-corpus negado nesta quinta-feira pela 5ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça (TJ) de São Paulo. Os advogados de defesa pediam a anulação do julgamento ou que ela fosse considerada absolvida pela morte do pai, devido a falha na redação de quesitos que a condenaram. A decisão dos desembargadores Tristão Ribeiro, Marcos Zanuzzi e Sérgio Rui foi unânime. De acordo com o relator Tristão Ribeiro, ?não houve reclamação ou protesto oportuno dos defensores quanto aos quesitos relativos ao homicídio cometido contra Manfred que foram redigidos de modo a não causar perplexidade, dúvida ou incerteza no espírito dos jurados e induzi-los a erro.?Suzane foi julgada no 1º Tribunal do Júri da capital, na Barra Funda, em julho, junto com os irmãos Daniel e Cristian Cravinhos. Daniel recebeu a mesma pena que Suzane e Cristian foi condenado a 38 anos e seis meses de prisão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.