Tornado causa ventos de 150 km/h e destelha casas em SC

Uma pessoa ficou ferida e duas famílias ficaram desalojadas após o fenômento atingir a cidade de Tubarão

Bianca Pinto Lima, do estadao.com.br, e Marco Britto, de O Estado de S. Paulo,

18 de fevereiro de 2008 | 09h03

Um tornado com ventos de aproximadamente 150 km/h deixou duas casas destruídas e mais dez destelhadas na tarde do ultimo domingo, 17, na comunidade rural de Lageado, a 10 km do centro de Tubarão, no litoral sul de Santa Catarina. De acordo com a análise de Defesa Civil do Estado, o fenômeno durou cerca de 20 minutos. Uma pessoa foi ferida sem gravidade e duas famílias que ficaram desalojadas estão na casa de parentes.  Informações da Defesa Civil dão conta de que o tornado teria sido de escala 1, ou seja, fraco. A altura pode ter variado entre 1,6 km e 5 km e a largura, de 17 a 50 metros. Equipes da Defesa Civil e da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri) avaliam nesta segunda-feira, 18, os danos provocados pelo tornado. Técnicos da Defesa Civil e meteorologistas da Epagri/Ciram também visitarão a região nos próximos dias para confirmar, ou não, a ocorrência do fenômeno. Eluísa de Borba, 26 anos, estava na rua às 18 horas de domingo, observando junto a outros moradores a passagem do tornado quando foi chamada pela filha Érica, de 6 anos, e voltou para dentro de casa. Enquanto fazia companhia para a menina, o vendaval arrancou uma porta da residência, que caiu por uma perna de Eluísa. Após ser hospitalizada, foram diagnosticados apenas ferimentos leves, e ela teve a perna enfaixada. "Mudei a mobília de lugar essa semana ainda. Se o sofá estivesse no lugar de antes, a porta teria atingido a minha filha", revelou. A manicure está na casa de vizinhos, pois a sua residência foi considerada em (situação de risco pela Defesa Civil. Eluísa deve ficar dez dias em recuperação.  O capitão Emerson Emerim, da Defesa Civil, esteve no local. Segundo ele, o fato de se tratar de uma área aberta, dedicada ao cultivo de arroz, evitou maiores estragos. O tornado atingiu uma área de 30 quilômetros quadrados. Foi descartada a hipótese de decretar situação de emergência. Este foi o primeiro registro de tornado na região. De acordo com a DC, fenômenos como esse ocorrem ao menos duas vezes ao ano em Santa Catarina, geralmente entre os meses de outubro e novembro, e também entre janeiro e fevereiro.  Há cerca de um ano, outro tornado atingiu a cidade de Campos Novos (SC). De maior força, o fenômeno pôs abaixo um ginásio em que aproximadamente 90 pessoas participavam de uma confraternização. Não houve mortos.  Chuva, vento e granizo Segundo a Defesa Civil, no domingo, pancadas de chuvas, acompanhadas de ventos e granizo, destelharam pelo menos 600 casas em Brusque, região do Vale do Itajaí, e 200 em Biguaçu, na Grande Florianópolis. Ninguém ficou desabrigado e não houve feridos. Rolos de lonas foram entregues para os moradores cobrirem os imóveis provisoriamente.  (Colaborou Elvis Pereira, do estadao.com.br)Texto alterado às 22h24 para acréscimo de informações.

Tudo o que sabemos sobre:
TornadoTubarão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.