Flávio Carvalho/Tudo Sobre Xanxerê
Flávio Carvalho/Tudo Sobre Xanxerê

Tornado deixa dois mortos e ao menos 100 feridos no oeste de SC

Forte tempestade atingiu sete bairros da cidade de Xanxerê; 12 feridos estão em estado grave e cerca de 500 famílias, desabrigadas

Aline Torres, ESPECIAL PARA O ESTADO

20 Abril 2015 | 20h40

Atualizada às 11h30 do dia 21.

FLORIANÓPOLIS - Duas pessoas morreram e pelo menos cem ficaram feridas - 12 delas em estado grave - após a passagem de um tornado nesta segunda-feira, 20, na cidade de Xanxerê, no oeste de Santa Catarina. O vento atingiu outras 12 cidades com menor impacto.

O fenômeno aconteceu por volta das 15h30 de segunda-feira e afetou principalmente a parte central de Xanxerê, que tem cerca de 47 mil habitantes, segundo o IBGE. Os mortos foram identificados como o casal Deomir e Alcimar Sutir, que morreu quando tentava socorrer os filhos.

Segundo o engenheiro agrônomo Ronaldo Coutinho, do Climaterra, os ventos do tornado chegaram a 200 km/h. O temporal destelhou e partiu residências, arrancou árvores e fios elétricos e deixou as ruas repletas de destroços.


De uma das igrejas mais antigas não sobrou nem o telhado. O ginásio de esportes Ivo Sguissardi, o principal da cidade, desmoronou. Crianças faziam atividade física no local quando a ventania chegou, mas elas conseguiram fugir. Dezenas de veículos ficaram destruídos.

Segundo informações da Defesa Civil, sete bairros estavam no caminho do tornado, que deixou um rastro de destruição. Os ventos derrubaram cinco torres de transmissão que saem da subestação de Xanxerê, deixando 14 cidades próximas sem luz. 

A cidade ainda tem problemas sérios com falta de energia, já que algumas torres da Eletrosul foram derrubadas. Também há problemas de comunicação, com a rede de telefonia operando parcialmente

Socorro. O Estado encaminhou para a região equipes do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil. A prefeitura organizou abrigos para mais de 500 famílias. Os feridos estão sendo atendidos no Hospital São Paulo e parte foi transferida para cidades vizinhas. Há uma força-tarefa para levantar lonas, agasalhos e geradores de energia para as unidades de saúde.

Mais conteúdo sobre:
ChuvasSanta Catarina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.