Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Torturou e matou a própria mãe

A dona de casa Erenir Pereira Collaço, de 67 anos, foi encontrada morta dentro de sua casa, na Rua Araguaia, 208, no Pari, zona leste da capital, neste domingo à noite.O principal suspeito do assassinato é um dos filhos de Erenir, Luiz Eduardo Pereira Collaço, de 38 anos. Ele foi preso em flagrante por policiais militares, dentro da residência, arrumando as malas para fugir.A vítima estava no chão de um dos quartos, com um saco plástico amarrado na cabeça e os pulsos cortados. Pelo corpo, havia vários sinais de espancamento. O assassino ainda ateou fogo à vítima.Segundo vizinhos, Collaço é deficiente mental, portador do vírus HIV e viciado em cocaína. Ele havia trabalhado um tempo como decorador de vitrines e chegou a morar dois anos em Nova York. Nos últimos meses, entretanto, estava desempregado e morava na rua.?A Erenir ficou com pena dele e o chamou para morar em sua casa?, disse o comerciante Marco Aurélio Marques, amigo de infância de Collaço. ?Chegamos a trabalhar juntos, mas, depois, ele se perdeu no vício. Talvez porque não aceitou a própria doença?, disse Marques.O comerciante disse que as brigas entre Collaço e a mãe eram freqüentes. Neste domingo, a discussão dentro da casa parecia apenas mais uma, até que os vizinhos ouviram Collaço gritar, repetidas vezes: ?Eu vou pôr fogo na casa?.Logo em seguida, ouviram os pedidos de socorro de Erenir, coisa que nunca havia acontecido. Preocupados com as ameaças e os gritos, os moradores da Rua Araguaia chamaram a polícia. Os PMs chegaram e tocaram a companhia.Passados cinco minutos, Collaço abriu a porta. Logo na entrada, havia pedaços de papelão queimado espalhados pelo chão. Ele preparava-se para fugir, mas acabou preso em flagrante.?Isso não é show?Em um dos quartos, os policiais encontraram a mulher. Ao lado do corpo, foram apreendidas uma faca e uma garrafa de álcool. Collaço foi levado direto para o 12º Distrito Policial, no Pari, onde a ocorrência foi registrada. Diante da história contada pelos PMs e vizinhos, o delegado Sebastião Arruda Santos autuou Collaço por homicídio doloso (com intenção).Se for condenado pela morte da mãe, poderá pegar até 30 anos de prisão. ?Isso não é show!?, disse Collaço, ao ser abordado por cinegrafistas e fotógrafos. Vestindo apenas um bermuda bege, ele completou: ?Isso é um equívoco, eu vou provar que não fiz nada disso?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.