Tradição dos presépios ainda atrai paulistanos

Mesmo com os inúmeros Papais Noéis, bonecos eletrônicos e luzes espalhados pela cidade, o tradicional presépio não perde seu lugar. Nessa época, exposições que mostram reproduções da noite do nascimento de Cristo são muito procuradas. No Museu de Arte Sacra de São Paulo, onde está exposto um dos presépios mais bonitos, o napolitano, o número de visitantes dobra no fim de semana, chegando a 1.200 pessoas. O Portal Estadão convida seus leitores para enviar suas fotos de presépios. As melhores imagens farão parte da galeria especial de presépios. Clique aqui e veja como participar do Fotorepórter.No bairro da Aclimação, na zona sul, o Centro do Empreendedor do Sebrae organizou uma mostra com presépios feitos de materiais naturais e reciclados, com peças vindas de várias partes do País. Também com apelo ecológico, no Conjunto Nacional, na Avenida Paulista, há um em tamanho natural feito com o lixo produzido pelos condôminos, material que está também na decoração da fachada. É a oitava vez que o condomínio faz esse tipo de decoração. O espaço fica aberto das 8 às 21 horas, e a entrada é gratuita.Também gratuita, a 25ª Exposição do Presépio Artesanal Paulista - montada pela Prefeitura no hall do Edifício Matarazzo, sede da Prefeitura - mostra peças de artesãos ligados à Superintendência do Trabalho Artesanal nas Comunidades.Há as exposições tradicionais, no Museu de Arte Sacra de São Paulo, na Avenida Tiradentes, e no Convento de São Francisco, no centro. As duas reúnem peças históricas . ´Nessa época a nossa procura é muito maior. Até crianças que já visitaram o museu com a escola voltam para ver a exposição com os pais´, contou a museóloga Andrea Maria Afonso dos Santos, do Museu de Arte Sacra. A peça que mais atrai na exposição do museu faz parte do acervo fixo da instituição. ´O presépio napolitano tem 1.650 miniaturas e retrata o Natal em uma cidade daquela região´, explicou Andrea.Para estimular as visitas, a instituição colocou um presépio na saída da Estação Tiradentes do Metrô. ´A pessoa que passa por lá ganha um tíquete de desconto. De R$ 4,00, o ingresso cai para R$ 1,00, disse a museóloga.No Convento de São Francisco, a novidade é a interatividade. ´O visitante pode fazer um bonequinho de argila e deixar na exposição´, disse frei Airton Oliveira, responsável pela mostra, que tem 33 peças do acervo fixo da congregação. ´Temos mais de 300 presépios de todas as partes do mundo, muitas doadas´, explicou frei Airton. A entrada é gratuita.OrigemO hábito de montar presépios da forma como se faz hoje começou em 1567, quando a duquesa italiana de Amalfi reuniu 116 figuras para representar o nascimento de Jesus, a adoração dos Reis Magos e outras cenas. O conceito, porém, foi criado por São Francisco de Assis em 1223, nas florestas de Greccio, na Itália. Ele encenou o nascimento para catequizar e criar uma alegoria cristã: o cenário reproduz o cotidiano da comunidade que receberia Jesus à meia-noite.Respeitando costumesMontagem: deve ser feita exatamente quatro semanas antes do Natal (dia 25) Menino Jesus: só deve ser colocado na manjedoura à meia-noite Para alcançar uma graça: deve-se montar o presépio por nove anos seguidos, sem interrupções

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.