Traficante foge da prisão e deixa boneco no lugar

Um dos mais perigosos traficantes do Espírito Santo fugiu no domingo do Mosesp 2, presídio de segurança máxima localizado em Viana, e deixou um boneco em seu lugar. Testemunhas afirmaram que José Antônio Marim, o Toninho Pavão, saiu pela porta da frente da unidade. O ladrão de bancos Paulo Donizete Siqueira de Souza também escapou. Somente na segunda-feira, quando foi feita contagem dos detentos, as ausências teriam sido notadas.Há suspeitas de que a fuga esteja relacionada com o roubo do avião Seneca 3, na madrugada desta segunda-feira, em um aeroclube de Vila Velha. A aeronave pertence ao empresário Jorge Donati, preso sob acusação de ser o mandante do assassinato da ex-mulher e de uma empregada.Os agentes penitenciários que estavam de plantão no domingo foram afastados e, segundo o diretor do Mosesp 2, Edmilson Antônio da Silva, no cargo há cinco dias, a principal linha de investigação é a de facilitação de fuga, pois as grades do presídio não foram serradas e não foram encontrados túneis.O subsecretário de Justiça para Assuntos Penais, coronel Ênio Reis, informou que a equipe de plantão era a mesma que trabalhava nas duas últimas fugas ocorridas no presídio. Silva começaria nesta terça-feira a ouvir os depoimentos dos agentes.De acordo com o diretor, Marim e Souza estavam na mesma ala, mas em celas separadas. Uma sindicância interna foi aberta e um ofício encaminhado à Polícia Civil, solicitando a abertura de inquérito para apurar o caso. Para o governo, o novo diretor do presídio não pode ser responsabilizado pela fuga, pois está no cargo há pouco tempo.O secretário de Justiça, Luiz Moulin, afirmou que o episódio é uma afronta do crime organizado ao poder público no momento em que o Estado se incorpora ao Sistema Único de Segurança Pública.O empresário Jorge Donati vai prestar depoimento ao delegado José Darci Arruda, da Divisão de Crimes Contra o Patrimônio, que preside o inquérito sobre o roubo do avião. O policial afirmou que os 20 homens que levaram a aeronave estavam camuflados, bem armados e usaram táticas de guerrilha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.